Live Unit

What is your opinion about this video?




Contra crise, Espanha planta maconha

Leia mais em: http://folha.com/no1070161 Entrevistas: Luisa Belchior e Ligia Roca; Imagens: Ligia Roca; Edição: Emiliano Goyeneche
Spaniard Roadrunner

Spaniard Roadrunner (39)

Spaniard Roadrunner
I speak:
Spanish
I learn:
Portuguese
Busuu berries :
25474

Começou a ser notícia aqui na Espanha que em um povoado pequeno de Catalunha (é uma região daqui do nordeste da Espanha), estava-se querendo plantar maconha para quitar (não sei se entendi bem esta palavra, foi "quitar" ou talvez "tirar") as dívidas da crise econômica. A proposta seria estabelecer um convênio entre a prefeitura desse povoado chamado Rasquera, e a chamada "Associação de Barcelona Cannabica de Autoconsumo", uma associação geral (a jornalista disse "geral"?) legalizada para o consumo pessoal de maconha, e que já há um tempo disse de pôr em funcionamento a proposta. Em geral o povo de Rasquera está de acordo com esta proposta da prefeitura, e de fato no vídeo saiu um vizinho que disse que as plantações de maconha não podem ser piores do que as centrais nucleares que rodeiam o povoado (quatro em total) ou as indústrias químicas que também têm perto. "A prefeitura fará lugar em terrenos” disse a jornalista (entendi bem o que ela disse no minuto 0:49?) e a associação vai entrar para plantar a maconha que é para o consumo próprio dos seus sócios, e vai pagar mensalmente cinquenta e quatro mil euros à prefeitura por os direitos da exploração desses terrenos com essa atividade. Depois Marta Suarez, a representante dos consumidores de maconha dessa associação, saiu no vídeo dizendo que a missão principal deles é poder fomentar o debate social para o estudo da normalização do consumo dessa droga na sociedade e da atividade proposta em Rasquera. Depois saiu a jornalista (Luisa Belchior) dizendo "Esse convênio, ainda... (não entendi o que disse no segundo 1:28, disse "presença"?)... aprovado por um referendum da população de Rasquera, que isso já foi feito no começo de abril." Sendo provado o que a maioria das pessoas estão falando que vai acontecer em junho ou julho começará o convênio, e se porão em prática as plantações. Afinal saiu o colunista da Folha José Simão falando umas reflexões do assunto com muita brincadeira (há que reconhecer que o assunto dá para isso). Ele disse que mudou o nome do povo por CHURRASQUEIRA invés de RASQUERA, porque aí vai ser uma "fumadeira" (entendi bem?). Também disse que é uma boa ideia, pois já o lugar está chapado, os vizinhos chapados, tudo chapado (porque aí têm centrais nucleares, indústrias químicas, etc.). Após disto disse que "a sociedade pode ficar tranquila, pois a maconha..." (não entendi bem o que disse desde o minuto 3:11 a 3:15)... e que o único efeito colateral da maconha é quando a ....(não entendi no minuto 3:18)..chega...", e termina dizendo que "...se a maconha fosse legalizada, em Brasil não se iria a plantar tanta soja...". Esteve engraçado o colunista com todas suas brincadeiras. Quanto a minha opinião, acho que esta não é boa maneira de sair da crise, senão tudo o contrario, pois as pessoas devem ficar bem acordadas e não chapadas, à hora de lutar por sair adiante deste problema económico que temos atualmente.
(P.S. Pego aqui o link para quem tenha problemas de assistir o vídeo por o busuu: http://www.youtube.com/watch?v=q56I1P8VWP8&feature=player_embedded#!)

Alessandro Lopes

Alessandro Lopes (26)

Alessandro Lopes
I speak:
English, Portuguese
I learn:
Spanish
Busuu berries :
567

Começou a ser noticiado aqui na Espanha que em um povoado pequeno da Catalunha (é uma região daqui do nordeste da Espanha), estava querendo plantar maconha para quitar (não sei se entendi bem esta palavra, foi "quitar" ou talvez "tirar") as dívidas da crise econômica. A proposta seria estabelecer um convênio entre a prefeitura desse povoado chamado Rasquera, e a chamada "Associação de Barcelona Cannabica de Autoconsumo", uma associação geral (a jornalista disse "geral"?) legalizada para o consumo pessoal de maconha, e que já há um tempo disse de pôr em funcionamento a proposta. Em geral o povo de Rasquera está de acordo com esta proposta da prefeitura, e de fato no vídeo saiu um vizinho que disse que as plantações de maconha não podem ser piores do que as centrais nucleares que rodeiam o povoado (quatro em total) ou as indústrias químicas que também têm perto. "A prefeitura fará lugar em terrenos” disse a jornalista (entendi bem o que ela disse no minuto 0:49?) e a associação vai entrar para plantar a maconha que é para o consumo próprio dos seus sócios, e vai pagar mensalmente cinquenta e quatro mil euros à prefeitura por os direitos da exploração desses terrenos com essa atividade. Depois Marta Suarez, a representante dos consumidores de maconha dessa associação, saiu no vídeo dizendo que a missão principal deles é poder fomentar o debate social para o estudo da normalização do consumo dessa droga na sociedade e da atividade proposta em Rasquera. Depois saiu a jornalista (Luisa Belchior) dizendo "Esse convênio, ainda... (não entendi o que disse no segundo 1:28, disse "presença"?)... aprovado por um referendum da população de Rasquera, que isso já foi feito no começo de abril." Sendo provado o que a maioria das pessoas estão falando que vai acontecer em junho ou julho começará o convênio, e se porão em prática as plantações. Afinal saiu o colunista da Folha José Simão falando umas reflexões do assunto com muita brincadeira (há que reconhecer que o assunto dá para isso). Ele disse que mudou o nome do povo por CHURRASQUEIRA invés de RASQUERA, porque aí vai ser uma "fumadeira" (entendi bem?). Também disse que é uma boa ideia, pois já o lugar está chapado, os vizinhos chapados, tudo chapado (porque aí têm centrais nucleares, indústrias químicas, etc.). Após disto disse que "a sociedade pode ficar tranquila, pois a maconha..." (não entendi bem o que disse desde o minuto 3:11 a 3:15)... e que o único efeito colateral da maconha é quando a ....(não entendi no minuto 3:18)..chega...", e termina dizendo que "...se a maconha fosse legalizada, em Brasil não se iria a plantar tanta soja...". Esteve engraçado o colunista com todas suas brincadeiras. Quanto a minha opinião, acho que esta não é boa maneira de sair da crise, senão tudo o contrario, pois as pessoas devem ficar bem acordadas e não chapadas, à hora de lutar por sair adiante deste problema económico que temos atualmente.

(P.S. Pego aqui o link para quem tenha problemas de assistir o vídeo por o busuu: http://www.youtube.com/watch?v=q56I1P8VWP8&feature=player_embedded#!)

claudia santos costa

claudia santos costa (27)

claudia santos costa
I speak:
Portuguese
I learn:
English
Busuu berries :
2629

bom!

Rogério R2

Rogério R2 (22)

Rogério R2
I speak:
Portuguese (Brazil)
I learn:
English, Spanish
Busuu berries :
1110

Excelente

Jacir Nepomuceno

Jacir Nepomuceno (22)

Jacir Nepomuceno
I speak:
Portuguese (Brazil)
I learn:
English
Busuu berries :
1945

Eu acho que a maconha deve ser legalizada para este povoado, além de quitarem as dívidas com o governo vão poder partilhar de algo que gostam(mesmo eu ñ sendo usuário) creio que não deve ser evitado o querer do povo para que não haja conflito

Spaniard Roadrunner

Spaniard Roadrunner (39)

Spaniard Roadrunner
I speak:
Spanish
I learn:
Portuguese
Busuu berries :
25474

Talvez assim seja, é difícil saber estas coisas.

Obrigado.

Lucas Lenour

Lucas Lenour (19)

Lucas Lenour
I speak:
Portuguese
I learn:
English
Busuu berries :
1188

muito bom

RoRô

RoRô

RoRô
I speak:
Portuguese
I learn:
Busuu berries :
55245

notícia aqui na Espanha é que que em um povoado pequeno de Catalunha (é uma região daqui do nordeste da Espanha), o governo queria plantar maconha para quitar (não sei se entendi bem esta palavra, foi "quitar" ou talvez "tirar") as dívidas da crise econômica. A proposta seria estabelecer um convênio entre a prefeitura desse povoado chamado Rasquera, e a "Associação de Barcelona Cannabica de Autoconsumo", uma associação geral (a jornalista disse "geral"?) legalizada para o consumo pessoal de maconha, e que já há um tempo disse de pôr em funcionamento a proposta. Em geral o povo de Rasquera está de acordo com esta proposta da prefeitura, e de fato no vídeo saiu um vizinho que disse que as plantações de maconha não podem ser piores do que as centrais nucleares que rodeiam o povoado (quatro em total) ou as indústrias químicas que também têm perto. "A prefeitura fará lugar em terrenos” disse a jornalista (entendi bem o que ela disse no minuto 0:49?) e a associação vai entrar para plantar a maconha que é para o consumo próprio dos seus sócios, e vai pagar mensalmente cinquenta e quatro mil euros à prefeitura por os direitos da exploração desses terrenos com essa atividade. Depois Marta Suarez, a representante dos consumidores de maconha dessa associação, saiu no vídeo dizendo que a missão principal deles é poder fomentar o debate social para o estudo da normalização do consumo dessa droga na sociedade e da atividade proposta em Rasquera. Depois saiu a jornalista (Luisa Belchior) dizendo "Esse convênio, ainda... (não entendi o que disse no segundo 1:28, disse "presença"?)... aprovado por um referendum da população de Rasquera, que isso já foi feito no começo de abril." Sendo provado o que a maioria das pessoas estão falando que vai acontecer em junho ou julho começará o convênio, e se porão em prática as plantações. Afinal saiu o colunista da Folha José Simão falando umas reflexões do assunto com muita brincadeira (há que reconhecer que o assunto dá para isso). Ele disse que mudou o nome do povo por CHURRASQUEIRA invés de RASQUERA, porque aí vai ser uma "fumadeira" (entendi bem?). Também disse que é uma boa ideia, pois já o lugar está chapado, os vizinhos chapados, tudo chapado (porque aí têm centrais nucleares, indústrias químicas, etc.). Após disto disse que "a sociedade pode ficar tranquila, pois a maconha..." (não entendi bem o que disse desde o minuto 3:11 a 3:15)... e que o único efeito colateral da maconha é quando a ....(não entendi no minuto 3:18)..chega...", e termina dizendo que "...se a maconha fosse legalizada, em Brasil não se iria a plantar tanta soja...". Esteve engraçado o colunista com todas suas brincadeiras. Quanto a minha opinião, acho que esta não é boa maneira de sair da crise, senão tudo o contrario, pois as pessoas devem ficar bem acordadas e não chapadas, à hora de lutar por sair adiante deste problema económico que temos atualmente. (P.S. Pego aqui o link para quem tenha problemas de assistir o vídeo por o busuu: http://www.youtube.com/watch?v=q56I1P8VWP8&feature=player_embedded#!)

Jeanne Costa

Jeanne Costa (53)

Jeanne Costa
I speak:
Portuguese
I learn:
English, Italian
Busuu berries :
491

Começou a ser notícia aqui na Espanha que em um povoado pequeno de Catalunha (é uma região daqui do nordeste da Espanha), estava-se querendo plantar maconha para quitar (não sei se entendi bem esta palavra, foi "quitar" ou talvez "tirar") as dívidas da crise econômica. A proposta seria estabelecer um convênio entre a prefeitura desse povoado chamado Rasquera, e a chamada "Associação de Barcelona Cannabica de Autoconsumo", uma associação geral (a jornalista disse "geral"?) legalizada para o consumo pessoal de maconha, e que já há um tempo disse de pôr em funcionamento a proposta. Em geral o povo de Rasquera está de acordo com esta proposta da prefeitura, e de fato no vídeo saiu um vizinho que disse que as plantações de maconha não podem ser piores do que as centrais nucleares que rodeiam o povoado (quatro em total) ou as indústrias químicas que também têm perto. "A prefeitura fará lugar em terrenos” disse a jornalista (entendi bem o que ela disse no minuto 0:49?) e a associação vai entrar para plantar a maconha que é para o consumo próprio dos seus sócios, e vai pagar mensalmente cinquenta e quatro mil euros à prefeitura por os direitos da exploração desses terrenos com essa atividade. Depois Marta Suarez, a representante dos consumidores de maconha dessa associação, saiu no vídeo dizendo que a missão principal deles é poder fomentar o debate social para o estudo da normalização do consumo dessa droga na sociedade e da atividade proposta em Rasquera. Depois saiu a jornalista (Luisa Belchior) dizendo "Esse convênio, ainda... (não entendi o que disse no segundo 1:28, disse "presença"?)... aprovado por um referendum da população de Rasquera, que isso já foi feito no começo de abril." Sendo provado o que a maioria das pessoas estão falando que vai acontecer em junho ou julho começará o convênio, e se porão em prática as plantações. Afinal saiu o colunista da Folha José Simão falando umas reflexões do assunto com muita brincadeira (há que reconhecer que o assunto dá para isso). Ele disse que mudou o nome do povo por CHURRASQUEIRA invés de RASQUERA, porque aí vai ser uma "fumadeira" (entendi bem?). Também disse que é uma boa ideia, pois já o lugar está chapado, os vizinhos chapados, tudo chapado (porque aí têm centrais nucleares, indústrias químicas, etc.). Após disto disse que "a sociedade pode ficar tranquila, pois a maconha..." (não entendi bem o que disse desde o minuto 3:11 a 3:15)... e que o único efeito colateral da maconha é quando a ....(não entendi no minuto 3:18)..chega...", e termina dizendo que "...se a maconha fosse legalizada, em Brasil não se iria a plantar tanta soja...". Esteve engraçado o colunista com todas suas brincadeiras. Quanto a minha opinião, acho que esta não é boa maneira de sair da crise, senão tudo o contrario, pois as pessoas devem ficar bem acordadas e não chapadas, à hora de lutar por sair adiante deste problema económico que temos atualmente.

(P.S. Pego aqui o link para quem tenha problemas de assistir o vídeo por o busuu: http://www.youtube.com/watch?v=q56I1P8VWP8&feature=player_embedded#!)

O texto está certo, precisa fazer pequenos acertos nas frases, como por exempo:

Nesta frase - Começou a ser notícia aqui na Espanha que em um povoado pequeno de Catalunha, estava-se querendo plantar maconha para quitar (não sei se entendi bem esta palavra, foi "quitar" ou talvez "tirar") as dívidas da crise econômica - o correto seria: "Começou a ser notícia aqui na Espanha que no povoado de Catalunha, estão querendo plantar maconha para quitar (essa palavra está correta) as dívidas da crise econômica".

No minuto 0:49 ela disse que a Prefeitura irá alugar terrenos - significa que ela não irá comprar, é a mesma coisa quando voce precisa morar numa casa e não tem condições de comprar, então voce aluga de algum proprietário que está colocando a casa a disposição.

No minuto 1:28 ela não disse presença e sim precisa que significa: no sentido que ela está usando esse verbo significa "a necessidade de se fazer"

Nos minutos 3:11 em diante ele está falando que o efeito colateral da maconha é só quando a policia chega, quando a PM (Policia Militar) chega na USP (Universidade São Paulo)  ou seja ele deu a entender que a maconha é uma droga leve e não tão forte como o LSD, crack e etc porque no entender dele. Quando se referiu na USP é por causa dos estudantes que são a favor da maconha.

 

 

 

 

Spaniard Roadrunner

Spaniard Roadrunner (39)

Spaniard Roadrunner
I speak:
Spanish
I learn:
Portuguese
Busuu berries :
25474

Muito obrigado.

Morrighan19

Morrighan19 (21)

Morrighan19
I speak:
Portuguese
I learn:
English, Swedish, Finnish
Busuu berries :
1781

Começou a ser noticiado aqui na Espanha que em um povoado pequeno da Catalunha (é uma região daqui do nordeste da Espanha), estão querendo plantar maconha para quitar (não sei se entendi bem esta palavra, foi "quitar" ou talvez "tirar") as dívidas da crise econômica. A proposta seria estabelecer um convênio entre a prefeitura desse povoado chamado Rasquera, e a chamada "Associação de Barcelona Cannabica de Autoconsumo", uma associação geral (a jornalista disse "geral"?) legalizada para o consumo pessoal de maconha, e que já há um tempo disse de pôr em funcionamento a proposta. Em geral o povo de Rasquera está de acordo com esta proposta da prefeitura, e de fato no vídeo saiu um vizinho que disse que as plantações de maconha não podem ser piores do que as centrais nucleares que rodeiam o povoado (quatro no total) ou as indústrias químicas que também têm perto. "A prefeitura fará o lugar em terrenos” disse a jornalista (entendi bem o que ela disse no minuto 0:49?) e a associação vai entrar para plantar a maconha que é para o consumo próprio dos seus sócios, e vai pagar mensalmente cinquenta e quatro mil euros à prefeitura pelos direitos da exploração desses terrenos com essa atividade. Depois Marta Suarez, a representante dos consumidores de maconha dessa associação, saiu no vídeo dizendo que a missão principal deles é poder fomentar o debate social para o estudo da normalização do consumo dessa droga na sociedade e da atividade proposta em Rasquera. Depois saiu a jornalista (Luisa Belchior) dizendo "Esse convênio, ainda... (não entendi o que disse no segundo 1:28, disse "presença"?)... aprovado por um referendum da população de Rasquera, que isso já foi feito no começo de abril." Sendo provado o que a maioria das pessoas estão falando que vai acontecer em junho ou julho começará o convênio, e se porão em prática as plantações. Afinal saiu o colunista da Folha José Simão falando umas reflexões do assunto com muita brincadeira (há que reconhecer que o assunto dá para isso). Ele disse que mudou o nome do povo para CHURRASQUEIRA invés de RASQUERA, porque aí vai ser uma "fumadeira" (entendi bem?). Também disse que é uma boa ideia, pois já o lugar está chapado, os vizinhos chapados, tudo chapado (porque aí têm centrais nucleares, indústrias químicas, etc.). Após disto disse que "a sociedade pode ficar tranquila, pois a maconha..." (não entendi bem o que disse desde o minuto 3:11 a 3:15)... e que o único efeito colateral da maconha é quando a ....(não entendi no minuto 3:18)..chega...", e termina dizendo que "...se a maconha fosse legalizada, no Brasil não se iria a plantar tanta soja...". Estava engraçado o colunista com todas suas brincadeiras. Quanto a minha opinião, acho que esta não é uma boa maneira de sair da crise, senão tudo o contrario, pois as pessoas devem ficar bem acordadas e não chapadas, à hora de lutar por sair adiante deste problema econômico que temos atualmente. (P.S. Pego aqui o link para quem tenha problemas de assistir o vídeo por o busuu: http://www.youtube.com/watch?v=q56I1P8VWP8&feature=player_embedded#!)

 

0:49 - " A prefeitura alugará terrenos..."

1:49 - "Esse convênio ainda precisa ser aprovado ..."

2:49 - Sim você entendeu bem.

3:11 até 3:15 - "A cidade pode ficar tranquila maconheiro não oferece perigo nenhum. Você já viu maconheiro ser fã do Luan Santana ( cantor brasileiro)..."

3:18 -" ... é quando a polícia chega... Melhor quando a PM chega na USP (Universidade de São Paulo)."

 

Muito bem escrito.

Espero ter ajudado e qualquer dúvida é só perguntar.

 

Bons estudos!!!